Telefone Marins & Lourenço 21 3856-6251 Email - Marins & Lourenço contato@marinslourenco.com Facebook - Marins & Lourenço Instagram - Marins & Lourenço

Marins & Lourenço

123

Posso pedir Revisão da Vida Toda da minha pensão por morte?


Postado em março 18, 2020

Nos últimos meses, sem dúvida, a revisão mais falada por toda a mídia foi a Revisão da Vida Toda. Isto porque, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu pelo reconhecimento da revisão, dando uma vitória significativa para os segurados que fazem jus a essa revisão, e, com isso, estamos cada vez mais próximo de uma decisão definitiva sobre o tema.

Contudo, uma parcela daqueles que fazem jus a esta revisão, sequer sabem que podem requere-la, e, com isso, podem acabar perdendo o prazo para ajuizamento da ação.

Hoje em específico vamos falar sobre a pensão por morte.

Antes de entrarmos no assunto, aconselhamos que você dê uma olhadinha no nosso artigo sobre revisão da vida toda. Lá nós explicamos tudo sobre a tese e, inclusive falamos quem pode requerer esta revisão, então, clica aqui para dar uma lida.

Agora que você já sabe sobre essa revisão, vamos falar sobre a possibilidade de solicitar a revisão no âmbito da pensão por morte.

Primeiro de tudo, sim, é possível requerer a revisão na sua pensão, desde que o benefício que tenha dado origem a sua pensão (aposentadoria de qualquer modalidade e ainda auxílio doença) esteja dentro dos critérios para o pedido de revisão, quais sejam:

A maior discussão que ronda o requerimento da revisão da vida toda no âmbito da pensão por morte é a decadência. Isso porque, o INSS e a jurisprudência divergem sobre o prazo.

Para o INSS o prazo de decadência, será contado da data de concessão do benefício originário (aposentadoria ou auxílio doença do (a) segurado (a) falecido (a)), contudo, para a jurisprudência, entende-se que o início do prazo decadencial de 10 anos para ajuizamento da ação ocorre somente a partir da data de concessão da pensão, tendo em vista que, é neste momento que nasce a pretensão do dependente em deduzir a revisional. 

Ou seja, é importante que, ainda que não haja decisão definitiva sobre o tema, já que houve recurso para o STF, seja ajuizada a ação, a fim de que, não decaia o direito e assim, mesmo tendo direito, não possa tê-lo reconhecido. 

Caso tenha interesse em verificar os cálculos e saber se você faz jus ao pedido e assim ajuizar o pedido, entre em contato conosco, teremos o imenso prazer em ajudá-lo (a).

Conheça melhor a Marins & Lourenço Advogados,
e veja como podemos te ajudar.

Entre em Contato

Voltar para Blog / Voltar para Home